terça-feira, 12 de novembro de 2013

E do conforto da vetusta idade

E do conforto da vetusta idade,
de quem viveu e viu já quase tudo,
o grave conselho soou agudo
àquele que ouve em ansiedade.

Detentor da experiente verdade,
embora quedando, por opção, mudo,
fitou ternamente o jovem rombudo
que criticou por sincera amizade:

"Dá-lhe tempo...", disse com paciência
mas o jovem na sua impaciência
queria resolver os seus problemas!

Completou "Dá-lhe tempo e nada temas..."
mas quem ouve bem insistiu ser mouco:
a pressa ceifou-o jovem e louco...

Sem comentários:

Enviar um comentário